Tipos de pimenta: o guia da ardência

A pimenta é um dos ingredientes mais usados na cozinha e isso não é de hoje. Povos ancestrais já conheciam os seus benefícios no sabor e para a saúde do nosso corpo, utilizando inclusive a pimenta como um poderoso aliado na cura de doenças. Com a ciência, descobrimos que os diferentes tipos de pimenta possuem propriedades únicas e benéficas. 

Há um pouco mais de 100 anos, a Escala Scoville surgiu para mensurar a ardência das pimentas. Com esse guia simples é possível identificar a presença da Capsaicina a pimenta, o componente que define a ardência da pimenta em contato com o paladar. 

Bora descomplicar essa escala e começar a usar a pimenta do jeito certo na cozinha? Conheça os principais tipos de pimenta e o guia de ardência para não exagerar na dose. 

 

Pimenta do Reino

A pimenta mais comum do dia a dia do brasileiro não entra na Escala Scoville. Isso mesmo, você provavelmente já percebeu que a pimenta do reino praticamente não tem ardência e por isso não é classificada no nosso guia. Porém, isso não significa que esse ingrediente tão poderoso deve ser descartado do cardápio.

Pela sua baixa ardência, essa é a pimenta mais versátil de toda a lista, podendo ser utilizada em praticamente qualquer prato, o importante é não exagerar na dose. Aqui no Fio de Azeite costumamos usar a pimenta do reino em pratos com massa, como macarrão e lasanha. Além disso, temperar carnes vermelhas, frango ou trufar um azeite com a pimenta do reino é garantia de delícia. 

 

Pimenta Biquinho

Outro ingrediente que todo mundo que cozinha não dispensa de jeito nenhum é a pimenta biquinho, uma das mais suaves dentro da Escala Scoville. Seu baixo grau de ardência já traz um sabor mais apimentado, porém sem agredir os paladares mais sensíveis. Sendo assim, esse ingrediente ainda é versátil, mas o ideal é ter mais cuidado na dose, exagerar na sua quantidade pode roubar o sabor de outros ingredientes do prato.

A harmonização da pimenta biquinho é perfeita com risotos que incluem carnes, saladas de ervas frescas e peixes como o bacalhau. Todo esse sabor ainda inclui os benefícios de ação anti-inflamatória, aceleramento da queima de gordura e prevenção de colesterol alto e diabetes. 

 

Pimenta  Jalapeno

Quem gosta de comida mexicana conhece bem essa pimenta e não dispensa o seu sabor.  Aqui já estamos falando de outro tipo de ardência, classificada como média na Escala Scoville. Por isso, a pimenta jalapeno não é para todo mundo e muito menos para todos os pratos. Seus benefícios são semelhantes aos da pimenta biquinho e agregam no seu cardápio semanal.

Para harmonizar, os pratos mexicanos são garantias de sucesso. O guacamole, por exemplo, tem na sua base a pimenta jalapena. Entre os tipos de pimenta essa é uma das opções com o sabor mais diferente. Vale a pena arriscar na cozinha e testar o seu paladar.   

 

Pimenta dedo-de-moça

Um pouco acima da pimenta Jalapeno  na escala de ardência, a opção alongadinha das pimentas também é bem comum de encontrar nos supermercados. Porém, você pode encontrar essa pimenta em diferentes formas no supermercado, como em molhos, desidrata e em conserva. 

No formato tradicional, além do sabor e ardência, a pimenta dedo-de-moça ainda agrega no visual de qualquer prato, com uma cor vibrante e um formato único. Para harmonizar, recomendamos a sua presença em molhos de tomate e ceviches de peixe. 

 

Pimenta Caiena

Utilizada na maior parte dos pratos como ingrediente de um molho, a pimenta caiena eleva o nosso nível na Escala Scoville e já traz a ardência como principal característica do seu sabor. No seu uso, a dosagem correta é fundamental, mas nem por isso a criatividade deve ser excluída. Um jeito interessante de usar a pimenta é na elaboração de chás termogênicos, ideais para quem quer perder alguns quilinhos.

Clique aqui e confira um passo a passo para preparar um chá termogênico caseiro com pimenta caiena.

Além dos chás termogênicos, a pimenta caiena pode ser utilizada em doces com um toque de ardência, como brownies, brigadeiros e até mesmo cookies mexicanos.

 

Pimenta Malagueta

Ingrediente fundamental da cozinha nordestina, a pimenta malagueta é uma das mais poderosas na Escala Scoville e serve como base de alguns dos pratos que melhor representam a culinária brasileira, como o vatapá, tucupi e a moqueca baiana.

Com ardência forte, o cuidado com esse ingrediente deve ser o maior de toda a lista, porém não o deixe de usar. Na hora de escolher as pimentas no supermercado, a dica é selecionar as mais vermelhinhas, pois isso indica que o alimento está maduro e perfeito para fazer a diferença na sua cozinha.

 

Qual a pimenta mais ardida do mundo?

Não ficou satisfeito com a ardência de nenhuma pimenta da lista, então é hora de chegar no topo da Escala e conhecer as pimentas mais ardidas do mundo. Antes de tudo, tome muito cuidado caso escolha consumi-las, queremos você com o paladar satisfeito e não tendo que correr para o hospital.

As pimentas mais ardidas atingem mais de um milhão na escala Scoville são a Carolina Reaper, Trindad Escorpion e Bhut Jolokia. Essas três rainhas da ardência podem ser encontradas em supermercados  maiores, lojas especializadas e em sites na internet. Arrisque-se se tiver coragem e lembre-se do nosso aviso de cuidado. 

Na harmonização, essas pimentas são utilizadas principalmente como molhos para carnes vermelhas e receitas um pouco mais complexas, alguns dos principais restaurantes do Brasil possuem opções de pratos deliciosos com essas pimentas fortes. 

Gostou? 

Tudo fica melhor com um pouco de pimenta e um bom fio de azeite, né? Confira mais conteúdos como esse e aprimore as suas habilidades na cozinha.  Vá além dos tipos de pimenta e confira:

Chocolate amargo: Como adicionar na dieta

Marmita fitness: cardápio completo e nutritivo

Equipe O Fio de Azeite. Redação especializada em trazer o melhor conteúdo sobre comida, saúde e bem-estar.
Sair da versão mobile