Conheça os principais tipos de azeite disponíveis nos supermercados

Domingo é dia de reunir a família. Sabe aquela salada deliciosa para acompanhar um prato muito especial? O seu sabor só é incrível quando temperado com um bom azeite. O azeite é um dos mais importantes ingredientes na cozinha, responsável por realçar o sabor de pratos quentes e de todos os tipos de saladas.

Para quem gosta de arriscar como chef de cozinha nas mais diversas ocasiões, a importância de escolher um bom azeite já é bem conhecida. Porém, você sabia que o valor nutricional deste produto é impressionante, abrangendo uma série de vitaminas e nutrientes fundamentais para a nossa saúde? Isso mesmo, a escolha por um bom azeite não é um luxo para os amantes da gastronomia, mas sim uma decisão inteligente.  

Para te ajudar nessa escolha tão importante para o seu paladar e saúde, nossa equipe preparou um guia com os principais tipos de azeite que você pode encontrar nos supermercados. Da próxima vez que for fazer compras, pode ter certeza que você fará a melhor escolha e o sabor do azeite será o seu segredo pessoal na cozinha.

Principais tipos de azeite 

Azeite refinado

O azeite refinado é o mais comum nas casas brasileiras. O seu nome está diretamente ligado no modo ao qual ele é obtido, a partir de duas ou mais prensagens da azeitona e um posterior processo de refinamento do óleo. Além disso, as fabricantes aquecem o azeite e o submetem a outros procedimentos de refinamento químico, algo semelhante ao que é feito na fabricação do óleo de soja.

Por conta do alto número de processos, o azeite refinado acaba perdendo algumas das características mais marcantes da azeitona, como o sabor e a textura. O seu valor nutricional também é prejudicado em decorrência do processo de fabricação.

O ponto positivo do produto é a sua adaptabilidade a altas temperaturas, sendo ideal para o preparo de frituras e grelhados

Azeite virgem

Ao contrário do azeite refinado, a opção virgem do produto opta por processos mecânicos na extração do óleo da azeitona. Essa troca de máquinas industriais por uma fabricação que valoriza o manual, reflete-se diretamente nos valores nutritivos do azeite que são bem mais interessantes do que a opção refinada. Outro ponto importante é o sabor suave do azeite, que mantém as características da azeitona sem a adição de componentes artificiais.

Como já deu pra perceber, o azeite virgem é um ingrediente interessante para a sua saúde. O produto contém propriedades anti inflamatórias, ômega 3 e vitamina E em sua composição, aliados no fortalecimento do coração e do cérebro. Para completar o pacote de benefícios dessa opção, o aroma é simplesmente delicioso.

O uso deste tipo de azeite é indicado para temperar saladas e carnes. 

Azeite extra virgem

Essa é a opção queridinha dos nutricionistas ao redor de todo o mundo. Considerado o melhor entre os tipos de azeite, o extravirgem é o óleo obtido na primeira prensagem de azeitonas de alta qualidade. Lembra da regra comentada no tópico anterior? Quanto menos processos industriais e alterações na composição do azeite, maior será a sua qualidade. A fabricação do azeite extravirgem é baseada justamente nesse princípio, focando-se em conservar o seu sabor, aroma e textura.

Além de benéfico para a saúde, trazendo todas as vantagens do azeite virgem com ainda mais impacto, o azeite extra virgem é ideal para a gastronomia. A preservação das suas características garante um tempero muito especial para qualquer tipo de prato. Com esse ingrediente em mãos, você vai se sentir como um verdadeiro chef de cozinha.

O azeite extra virgem deve ser usado como um ingrediente do prato, realçando sabores a partir das suas características. O seu uso é praticamente universal. 

Azeite orgânico 

Fugindo das três principais categorias de azeite, temos aqui uma das opções mais bacanas do mercado: o azeite orgânico. A produção orgânica prega a harmonia com os fatores ambientais, genéticos e agrônomos. Sendo assim, os azeites classificados como orgânicos se diferenciam dos convencionais no seu cultivo, seguindo rigorosos critérios de produção agrícola ecológica. Um desses critérios, por exemplo, é a ausência de agrotóxicos no cultivo das azeitonas.

Os azeites orgânicos não significam necessariamente uma opção de maior qualidade em relação a tradicional, tendo em vista a possibilidade de colheitas orgânicas gerarem azeitonas de pouca qualidade. O principal diferencial dessa opção é o sabor peculiar e a responsabilidade ambiental na sua produção.

É possível encontrar azeites de todos os tipos que acompanhem o rótulo de orgânico, na maior parte dos casos, pelo seu sabor equilibrado, o seu uso é recomendado na gastronomia de frutos do mar

Óleo composto 

Você já foi ao supermercado e encontrou um produto com todas as características de um azeite, incluindo a embalagem, aroma, identidade visual e até mesmo a cor, porém com o rótulo de “óleo composto”? A diferença entre esse produto e um azeite de verdade é gritante.

Enquanto o azeite é composto pelo óleo extraído da azeitona a partir de todos os processos já explicados, o óleo composto trata-se de uma mistura com outro óleo vegetal, geralmente o de soja. 

Na prática, o sabor, textura e valor nutricional dos produtos são completamente diferentes. A indicação é escolher sempre um bom azeite, mesmo que o óleo composto apresente um preço mais atrativo, pois o custo-benefício de ambas opções é incomparável. 

Pronto, agora na sua próxima ida ao mercado não restarão dúvidas sobre qual o melhor tipo de azeite para você e para a sua família. Este conteúdo foi útil? Compartilhe com um amigo e espalhe conteúdos úteis como este :).

Conheça as melhores opções de azeite em: Os 5 melhores azeites do Brasil para comprar agora 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *