Saúde do intestino: saiba com cuidar e qual é o tipo de alimentação adequada

Intestino Saúde

Pouca gente sabe, mas boa parte daquela sensação de felicidade está concentrada em nossa barriga. Hormônios como a serotonina e dopamina, responsáveis pelo bem-estar, são produzidas em abundância no intestino. 

Pode parecer que não, mas o órgão é extremamente importante, sendo considerado um “segundo cérebro” por muitos especialistas.

Nosso intestino está sempre trabalhando e libera mais de 30 mensageiros químicos pelo corpo. Eles são responsáveis por intermediar a comunicação entre o cérebro e o corpo, para um correto funcionamento. 

Sendo assim, um órgão tão complexo e cheio de funções, demanda atenção e cuidados. Entenda o porquê a seguir. 

Por que cuidar da saúde intestino é tão importante?

Em nosso organismo habita aproximadamente o mesmo número de bactérias, fungos e vírus comparado a células. Esses microrganismo formam o que os especialistas chamam de microbiota e influenciam muitos processos do corpo.

Peso, humor, apetite e saúde são influenciados pela microbiota. Estima-se que 70% das células presentes no órgão fazem parte do sistema imunológico. Por isso, quando comprometida a saúde intestinal pode afetar a imunidade, por exemplo. 

Desde uma simples gripe a quadros mais graves, como a Síndrome do Intestino Irritável (SII), dependem da saúde do órgão. 

Tudo começa a se desenvolver a partir do nascimento. Há inclusive estudos que mostram bebês nascidos em parto normal, carregam uma quantidade maior de microrganismos do que em uma cesariana. 

De todo modo, quanto maior o cuidado com a saúde intestinal, menores são as chances de alguma alteração no organismo. 

No entanto, não estamos livres e a seguir você conhece os 3 principais problemas intestinais.

Os principais problemas de funcionamento que comprometem a saúde do intestino

Muitas consultas a um gastroenterologista são motivadas por alguns sintomas bem comuns em problemas no intestino:

  • distensão ou obstrução; 
  • cólicas;
  • dificuldade para evacuar; 
  • diarreia, caracterizando o intestino solto. 

São esses os sinais mais aparentes de que a saúde intestinal está comprometida, necessitando de maiores cuidados.

Normalmente, estes sintomas levam ao diagnóstico de SII, doença de Crohn ou prisão de ventre, que são bastante comuns. 

1) Síndrome do Intestino Irritável (SII)

Esta é uma doença crônica que atinge o cólon e o intestino grosso, onde os movimentos do órgão apresentam alterações. 

Não há uma causa específica conhecida pelos especialistas, mas sabe-se que o aumento do estresse influencia os sintomas. O intestino fica mais sensível quando nos mostramos estressados. 

O problema também já foi relacionado a uma infecção intestinal, que pode provocar a síndrome. 

É mais comum em mulheres e pode aparecer em qualquer idade. Causa cólicas, diarreia e gases, no entanto tem sintomas variáveis em cada pessoa. Em alguns casos, o paciente pode ter também constipação.

2) Doença de Crohn

Este problema manifesta-se pelo intestino inflamado e atinge todo o trato gastrointestinal. Geralmente, é atinge mais a porção distal do intestino delgado e grosso. 

Assim como a SII, não tem causa aparente, podendo se manifestar surtos recorrentes e agudos. A doença de Crohn intercala esses episódios com períodos de remissão prolongados.

Entre os sintomas, o paciente pode ter o intestino solto sem muco, dores abdominais, febres e perda de peso.

3) Prisão de ventre

O problema é caracterizado pelo intestino preso, sendo algo bastante comum. A prisão de ventre causa dificuldade para evacuar, sendo necessário um grande esforço no processo. 

Nosso estilo de vida, baixa ingestão de água ou fibras, e excesso de produtos industrializados na alimentação causam o problema. Também o alto consumo de proteína animal, sedentarismo e estresse podem ser indicados como causas da prisão de ventre. 

Quem sofre com o problema costuma sentir cólicas, acúmulo de gases, fezes em pouco volume e duras. Sentir dores ao evacuar é ainda mais comum, sendo o principal sinal deste distúrbio. 

Dos três, é problema mais fácil de se tratar, visto que basta apenas uma alteração nos hábitos alimentares para ter um efeito positivo. 

Afinal, como cuidar da saúde do intestino?

O principal fator para melhorar a saúde do intestino é a alimentação. A microbiota gosta de diferentes componentes em nossa dieta e quanto mais diversificada, melhor para o órgão. 

Estando bem alimentados, os microrganismo trabalham adequadamente, sem comprometer o órgão. Casos de intestino preso ou solto são influenciados pela alimentação, na maioria das vezes. 

Acontece porque a função do nosso segundo cérebro é absorver nutrientes da dieta alimentar. Sendo assim, se ela é pobre em fibras, por exemplo, o intestino terá dificuldade para trabalhar, causando a prisão de ventre.

Além disso, uma alimentação baseada somente em proteínas e gordura animal é um dos principais motivos para um intestino inflamado. 

Desta forma, sua alimentação deve ser baseada no consumo de vegetais, frutas e menor quantidade de carne vermelha. 

Fibras ajudam a melhora a saúde do intestino

Para que seu intestino funcione corretamente, a dieta também deve conter uma boa dose de alimentos ricos em fibras. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a ingestão de mais de 25 gramas de fibras diariamente para um adulto. No entanto, os brasileiros costumam comer somente 50% da quantidade necessária. 

Em geral, a dose baixa é relacionada mais ao tipo de alimento consumido. Normalmente, 88,7% deles tem um teor de fibras muito baixo — menos de 2,4 gramas em uma porção. 

Mas fique tranquilo, pois não faltam alimentos com uma boa quantidade de fibras para deixar o seu intestino feliz e funcionando corretamente. 

É bastante fácil encontrá-la em alimentos de origem vegetal (frutas, legumes e verduras), além de leguminosas e cereais integrais. Veja algumas opções para incluir na dieta:

  • Ameixa preta – cerca de 0,20g em duas unidades; 
  • Mamão papaia – em duas fatias há 3,6g de fibras; 
  • Aveias em flocos ou farelo – a cada quatro colheres de sopa você consome 4g de fibras;
  • Grão de bico – há 5,4g em duas colheres de sopa;
  • Quinoa – em uma xícara do grão cozido há uma concentração de 5,2g de fibras;
  • Brocólis – você consome 5g em apenas quatro talos cozidos; 
  • Abacate – uma das melhores fontes, com 11,20g em quatro colheres de sopa da fruta.

A alimentação, sobretudo com a dose correta de fibras, é importante para que o intestino funcione de maneira adequada. 

Seguindo uma dieta rica em fibras e alimentos que colaboram para o funcionamento do intestino, as chances de desenvolver qualquer tipo de problema são baixas. Mesmo assim, se sentir qualquer tipo de sintoma, busque ajuda médica.

Quer saber mais sobre alimentação e como distribuir bons alimentos e hábitos no seu dia a dia? Confira agora o E-book: O guia definitivo da alimentação saudável 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *