Panetone: Tudo sobre o gostoso pão natalino

A origem do panetone

Pode ser com uva passas, chocolate ou até doce de leite, o panetone é um daqueles clássicos que não podem faltar na ceia de natal do brasileiro. Mas, como o nome entrega, a origem do panetone passa longe das terras tupiniquins e começa na Itália, mas especificamente na cidade de Milão. Essa é uma daquelas histórias para contar na ceia com a família e deixar todo mundo impressionado, conheça agora a origem do panetone.

O nome panetone nada mais é do que uma tradução de “pane di toni” – ou “pão de toni”. Essa curiosa história começa com o padeiro italiano Toni, que trabalhava  na cidade de Milão. Em uma daquelas épocas em que existe tanto trabalho que o nosso cérebro acaba confundindo tudo, Toni cometeu um pequeno erro que daria origem a sua maior criação.

Na véspera de natal, Toni estava trabalhando simultaneamente em uma fornada de pães e uma massa de torta. Por acidente, o padeiro acabou colocando as frutas da torta na massa de pães. Diante desse momento desesperador, Toni tentou conservar a massa adicionando frutas cristalizadas, manteiga e ovos na receita. O resultado foi a criação de uma das receitas mais tradicionais do natal e sucesso imediato em toda a cidade de Milão.

A história é bem bacana, né? Porém, alguns estudiosos duvidam dessa história de origem e apostam as suas fichas em outras versões. Em uma dessas outras versões da origem do panetone, é dito que esse pão foi inventado no século III, à princípio, se diferenciando das demais receitas, apenas por ser uma pão maior do que o de costume.

Em outra dessas lendas, o acaso e o natal também são protagonistas. Segundo a história, o panetone teria sido inventado na corte de Ludovico, o Mouro, entre os anos de 1494/1500 na véspera do natal. A tradição da época, assim como atualmente, comemorava o natal como grandes banquetes, e na preparação da festa para a corte, uma das sobremesas acabou queimando. Para corrigir o erro, um dos empregados da cozinha, chamado Antônio, preparou uma massa com sobras de ingredientes que ele pretendia levar para casa. 

Como as opções não permitiam maiores inovações, Antônio decidiu apresentar a tal massa, o resultado foi o melhor possível, toda a corte adorou a sobremesa. Ludovico então perguntou ao empregado qual era o nome da iguaria, Antônio respondeu que a sobremesa ainda não tinha nome. Em homenagem ao cozinheiro ousado, Ludovico decidiu chamar a sobremesa de “pane di toni”.

Como deu pra perceber, a versão original do panetone passa longe do que podemos encontrar nas prateleiras de mercado, como opções com chocolate, trufas, doce de leite e até algumas versões mais exóticas, como paçoca e pavê. Inclusive, a receita clássica de Panetone é protegida por decreto, assinado em 2005 na Itália, que determina as quantidades e proporções ideais de cada ingrediente para a confecção do panetone.

Aqui no Brasil, o panetone chega junto com a grande imigração italiana no período da Segunda Guerra Mundial. O costume de fazer essa receita durante a época natalina logo rompeu as barreiras das colônias italianas e foi exportado para todo o Brasil. Um dos principais responsáveis pela expansão foi Carlo Bauducco, que investiu no doce e começou a vendê-lo em 1948. Como o sobrenome entrega, essa estratégia foi um sucesso absoluto, a Bauducco inclusive é a maior produtora de panetone do mundo, faturando cerca de 3 bilhões anualmente. 

Para você ter uma ideia, o Brasil é o terceiro maior consumidor de panetone do mundo, perdendo apenas para Itália e para o Peru. Estima-se que em média um panetone inteiro é consumido em todos os lares brasileiros. Além de uma receita deliciosa, o panetone movimenta muito dinheiro.

Antes que os italianos fiquem zangados, fique sabendo que o panetone tradicional responde por 77% das vendas do produto no Brasil, superando as versões “incrementadas” da receita. O “pane di Toni” resistiu ao teste do tempo e é um sucesso ainda hoje.

Em meio a tantas histórias, o que podemos garantir sobre o panetone é que ele precisa estar presente na sua ceia. Por isso, é essencial escolher com cuidado a marca do produto ou os ingredientes, no caso de se arriscar na cozinha. Seja na tradicional receita italiana, ou com as incrementações gourmet, algumas dicas vão te ajudar.

Dicas para escolher um bom panetone 

É véspera de natal, o supermercado está cheio e as prateleiras com infinitas opções de panetone, todos os sabores, marcas e tamanhos. Na correria, você escolhe rapidamente o panetone e coloca o pé no acelerador – seguindo as leis de trânsito é claro – para chegar logo em casa. Mas, infelizmente, o seu panetone fica encalhado na ceia de natal, junto com aquela salada de maionese que desandou e o divisivo arroz com uva passas. Ah, como umas dicas para escolher o panetone teriam ajudado.

Esse é um cenário catastrófico, certo? Por isso, reunimos a nossa equipe de especialistas e separamos algumas dicas para escolher um bom panetone, independente da sua preferência alimentar. Vamos lá? 

Primeiro de tudo, o paladar é quem manda. Caso você possua uma marca queridinha ou uma receita que não abre mão, está tudo bem, o importante é garantir a satisfação. Outra boa ideia é perguntar para um amigo que tenha um paladar parecido com o seu, qual o seu panetone preferido. Caso o consumo do panetone seja na ceia de natal, não se esqueça das pessoas que vão comer, afinal ninguém quer ter imprevistos com alergias ou restrições alimentares, certo?

Como já foi dito, existe uma lei na Itália que define a proporção dos ingredientes na formulação dos panetones, mas aqui no Brasil não. Com isso, as marcas utilizam formulações completamente diferentes na criação dos seus pães natalinos. Então, fique atento aos rótulos e não deixe-se levar por latas incrivelmente decoradas com símbolos do natal, mas que escondem um produto de péssima qualidade. 

Uma das dicas para acertar na escolha é dar preferência para os panetones maiores. Isso mesmo, ao invés de comprar vários pequenos panetones, leve um com mais de 1kg para casa, pois assim a massa conserva mais a umidade e garante um sabor mais agradável. Quanto a aparência, ela deve ser inchada e com cúpula regular.

Outro indicativo da qualidade do panetone é a embalagem. Verifique se existem danos na embalagem que possam ter afetado a massa antes de comprar o produto.

Já na mesa de casa, alguns detalhes entregam a qualidade do panetone. Ao cortar a massa, o ideal é que o cheiro seja de uma fragrância de manteiga, baunilha, limão e laranja cristalizadas. Na hora de puxar o pedaço a massa deve ser macia, leve e elástica, saindo como uma tira completa na vertical, sem quebrar ou desmanchar. Por último, a umidade e a gordura devem estar equilibradas, assegurando aquele desmanchar na boca tradicional da receita.

Só de escrever tudo isso já dá água na boca. Outro ponto importante é o glúten, sendo sempre importante evitar a presença desse problema no seu cardápio. Verifique o rótulo do panetone para tirar a dúvida sobre a presença de glúten, nas receitas artesanais, o domo do pão denúncia ou não a presença de glúten, sendo o ideal que esse domo seja liso assim como um pão de hambúrguer 

Esse conhecimento vai te ajudar a preparar uma ceia inesquecível para as pessoas que você mais ama. Porém, você sabe quais são as marcas que cumprem bem esses requisitos e oferecem produtos de alta qualidade para o mercado brasileiro? Díficil responder;

Para garantir uma boa escolha, separamos uma listinha com algumas indicações de panetone para você, e sim, temos opções para os tão controversos chocotones, nenhum paladar é excluído aqui no Blog.

Melhores panetones e chocotones do mercado brasileiro

O panetone com o melhor sabor: Casaria (R$ 74)

Com 72 horas de fermentação natural e uma seleta de damasco, gico e uvas passas brancas e pretas, o panetone comandado pelo chef-confeiteiro Diego Lozano traz o melhor que a receita pode oferecer com um visual capaz de impressionar qualquer um. Os destaques do panetone são a textura macia, a qualidade dos ingredientes e o aroma natural, sem qualquer sabor ou cheiro artificial. 

O panetone com o melhor custo-benefício: Casa Bauducco (R$ 45,90)

Com certeza você já participou de alguma ceia de natal com um panetone Bauducco na mesa. Uma das marcas queridinhas dos brasileiros, acerta a mão na sua linha premium: a Casa Bauducco. A melhor opção é o panetone de passa e damasco, com aroma natural e uma textura perfeita para harmonizar com a leveza do sabor. É certeza de sucesso na ceia sem extrapolar o orçamento. 

O panetone com o melhor preço: Casa Suiça (R$19,90)

Se você está pensando em economizar na ceia ou tem muitos amigos para presentear e o panetone foi o escolhido, uma opção boa e barata é o produto da Casa Suíça. Cumprindo a missão de ser um panetone bom e barato, a massa é compacta e macia, já as frutas cristalizadas são bem distribuídas e o sabor no geral, vai agradar a maioria dos paladares. 

O melhor chocotone: Dengo (R$ 98)

Encantando já na embalagem, a Dengo oferece mais do que um chocotone, mas sim uma experiência de consumo. O produto é bem embalado, fermentado naturalmente e na nossa opção preferida, com gotas de chocolate ao leite 50% cacau e finalização em uma crosta de caju que é simplesmente deliciosa. Esse é o presente perfeito para dar a si próprio na ceia de natal ou para uma pessoa bem especial. 

O melhor panetone gourmet: Kopenhagem

A marca premium de chocolates capricha em uma opção inusitada: o Petittone Frutas. Com frutas cristalizadas e uvas passas cobertas com chocolate ao leite, o petittone tem um sabor único e que pode não agradar todo mundo, mas com certeza tem um grupo de fãs bem grande. Vale a pena experimentar essa opção diferente na ceia de natal. 

Receita incrível de panetone caseiro

Cansado das opções industriais e sabor padronizado dos panetones? Uma boa receita caseira é a melhor opção. Nossa equipe separou a receita de panetone caseiro mais aprovada na ceia de natal dos nossos familiares, e com toda a sinceridade, está simplesmente irresistível. 

E aqui terminamos a nossa jornada em busca da melhor escolha no panetone da sua ceia. Clique aqui e acesse o nosso Instagram, várias outras dicas para a ceia de natal estão sendo compartilhadas no stories e Feed.

 

Boas festas e um 2022 cheio de fio de azeite para você

Continue lendo em: Como fazer marmita fitness?

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *