Dieta lowcarb: o que é, como funciona, quais alimentos consumir

Dieta lowcarb

Considerados grandes vilões do emagrecimento, os carboidratos costumam desaparecer da da alimentação quando há intenção de perder peso. No entanto, opções que incluem a ingestão do nutriente vem ganhando espaço nos últimos anos, caso da dieta lowcarb

Para quem ainda não conhece, essa alternativa não reduz por completo o consumo de carboidrato, o que a distância da dieta cetogênica.

Assim como qualquer dieta que interfira nos hábitos alimentares, são necessários alguns cuidados no processo. A ideia é não gerar prejuízos ao organismo em decorrência da alimentação. 

E a melhor forma de entender se uma nova rotina alimentar pode dar certo ou não, é conhecê-la a fundo. Continue acompanhando o texto para entender como funciona a dieta lowcarb e tudo sobre ela.

Dieta lowcarb: o que é e como funciona

O próprio nome da dieta indica sua finalidade. Na tradução literal, lowcarb significa baixo teor de carboidratos e é essa a principal característica do regime alimentar. 

Assim, a dieta que tem se tornado bastante popular nos últimos anos, reduz o consumo de carboidratos na alimentação.

O nutriente é responsável por fornecer energia ao corpo, encontrado em uma série de alimentos considerados inimigos da balança. A lista é grande e inclui:

  • Massas;
  • Pães;
  • Tubérculos;
  • Cereais;
  • Doces;
  • Frutas. 

A questão é que uma rotina alimentar convencional tem cerca de 60% das calorias baseadas em carboidratos. A lowcarb reduz essa quantia em 40% e às vezes até menos. 

Não há uma regra para a redução, visto que mesmo quando baixa, ela apresenta resultados considerados positivos. 

Como não elimina totalmente o consumo de carboidratos, o regime dá preferência a forma integral desses alimentos. Neste caso, o arroz integral, por exemplo, entra em cena e se faz presente nos pratos. 

E pelo baixo teor do nutriente, ele é compensado com uma ingestão maior de gorduras boas e proteínas. 

Confira o que você pode ou não consumir na dieta:

Alimentos liberados para a dieta lowcarb

Essas opções estão liberadas sem culpa ao adotar a dieta lowcarb. Representam proteínas, verduras, legumes, frutas e gorduras boas em sua alimentação. 

Sendo assim, estão permitidos:

  • Cortes magros de carne, como maminha, músculo, lombo, bisteca e peito de frango sem pele;
  • Frutos do mar, peixes e ovos; 
  • Folhas verdes escuras, como couve e rúcula, além de vegetais como rabanete, brócolis e couve-flor; 
  • Frutas com índice glicêmico baixo. Dê preferência ao abacate, morango ou cereja; 
  • Nos laticínios estão permitidos o creme de leite, iogurte sem açúcar e queijos, sobretudo o branco; 
  • Castanhas, nozes e sementes de gergelim, chia ou linhaça;
  • Azeite de oliva, banha e óleo de coco entram como gorduras boas.

Em relação a bebidas, a ingestão correta de água é primordial em qualquer rotina alimentar. Você também pode consumir café e chá, preferencialmente sem açúcar, por isso priorize o uso de adoçantes. 

Alimentos limitados e proibidos para dieta lowcarb

A dieta libera alguns alimentos com moderação e coloca outros em uma lista negra, que devem ser cortados da rotina. 

Em relação ao consumo moderado, a lowcarb tem uma lista até curta. Vale ressaltar que estes itens tem um valor nutritivo significativo, mas devem ser consumidos sem exageros. 

Sendo assim, seu prato pode incluir a presença de:

  • Tubérculo como a batata-doce, cenoura e inhame; 
  • Grão de bico, feijão e lentilha;
  • Grãos integrais como arroz ou quinoa; 
  • Pera, banana e outras frutas com alta concentração de açúcar. 

Por outro lado, há as opções que você deve abdicar na alimentação. São itens com um baixo teor de nutrientes e vitaminas, além de facilitarem o ganho de peso. Neste caso, você irá abrir mão de:

  • Alimentos ultraprocessados e industrializados de forma geral;
  • Embutidos e carnes, como bacon e salsicha;
  • Carboidratos refinados, como massas de farinha branca, pães, refrigerantes e doces;
  • Glutén, que é o caso do trigo; 
  • Cortes com camada de gordura, como a costela e picanha. O frango, apenas sem pele; 

Resultados da dieta lowcarb para quem consume os alimentos sugeridos

Neste regime, a ingestão de açúcar, refrigerantes, alimentos processados e massas brancas quase não existe. 

Os efeitos são sentidos rápidos na lowcarb, não apenas relacionado ao emagrecimento, um dos pontos principais da dieta. 

Quem a adota, tem a saciedade prolongada, consegue aumentar o colesterol bom, controlar o nível do triglicerídeos e pressão arterial. Assim, é correto afirmar que a dieta tem efeitos significativos a saúde. 

Mas não é possível falar sobre dieta lowcarb sem lembrar do que a deixou tão famosa: a perda de peso

Como a alimentação tem baixa ingestão de açúcar derivada dos carboidratos, o organismo tem uma queima de gordura mais efetiva. No caso, esse processo ocorre para gerar energia e manter o corpo em funcionamento. 

Consumir menos carboidrato também torna menos frequente os picos da insulina, que tem muita relação ao açúcar. Isso acaba diminuindo também efeitos secundários do hormônio, que tende a armazenar gordura na região abdominal. 

Lowcarb x cetogênica: entenda a diferença na hora do consumo dos alimentos

A dieta cetogênica é outra opção que tem se tornado popular nos últimos anos. Sua relação com a lowcarb é o próprio carboidrato. 

Cada uma das dietas têm distintos níveis de restrição, o que é mais evidente na cetogênica. 

A lowcarb se baseia na diminuição do carboidrato, tendo seu consumo médio entre 50g a 150g do nutriente. Já a outra opção apresenta uma ingestão ainda menor, não passando de 50g por dia

Há outro ponto que distancia ambas as formas de se alimentar. A dieta cetogênica aumenta o consumo de proteínas e gorduras boas, como uma forma compensatória a redução drástica do carboidrato. 

Neste ponto, a lowcarb é mais abrangente e equilibrada. Ela apenas recomenda um teor baixo de carboidratos, substituindo-os por opções de absorção lenta e que ajudam na saciedade. 

Por conta disso, a dieta cetogênica pode ser encarada como uma opção mais restritiva, já que seu objetivo é praticamente tirar os carboidratos da alimentação. 

Isso ocorre porque a dieta tem como objetivo é zerar a insulina no sangue. O corpo entra em processo de cetose, usando a gordura armazenada para produzir energia e se manter funcionando. 

Esse é um dos pontos que fazem a cetogênica ter efeitos muito mais rápidos comparados a low cab. Mas, isso não quer dizer que ela será efetiva por um período longo, uma vez que é muito difícil de ser mantida

Qualquer pessoa pode fazer dieta lowcarb?

A dieta lowcarb é considerada bastante segura, não havendo restrições para adotá-la na rotina alimentar. 

Mas, por promover uma mudanças nos hábitos alimentares, é importante que ela seja acompanhada por um profissional. Não apenas pelo emagrecimento promovido, mas também pelas mudanças geradas pela dieta. 

Um dos pontos é o monitoramento dos níveis de gordura, principalmente se o paciente tiver níveis de colesterol e triglicérides elevado. 

O mesmo vale aos diabéticos, que são beneficiados com a dieta, mas pode ser necessário alguns ajustes. Normalmente, o médico receitará alterações na medicação e uso de insulina.

De todo modo, se for seguida corretamente, a dieta lowcarb terá efeitos bastante positivos ao organismo e, claro, para perder peso.

Gostou do conteúdo? Você pode receber novidades sobre dicas para melhorar a alimentação assinando nossa newsletter no campo abaixo. Assim, sempre que houver um novo conteúdo, será avisado. 

Leia mais em: Comida Vegana: O que é e como ela pode fazer parte do seu dia 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *