Intro Price! Get Pixwell WordPress Magazine Theme with ONLY $59

Alimentos para diabéticos: como encontrar

A diabetes é uma patologia crônica sem cura, onde o paciente precisa aprender a conviver com ela. 

O tratamento também é constante e não se limita apenas ao uso de medicamentos específicos. Quem é diabético precisa alterar alguns hábitos para manter a doença controlada, sobretudo em relação a alimentação. 

Mas antes de conhecer os alimentos e a dieta indicada para quem tem diabetes, é necessário compreender a doença. Confira a seguir. 

O que é diabetes?

A diabetes é uma doença crônica caracterizada pela incapacidade do corpo de produzir insulina. Também é possível que organismo faça a produção, mas não é capaz de absorvê-la.

O principal agravante da doença é que o corpo necessita muito do hormônio da insulina. Ele é responsável por transformar a glicose gerada pela alimentação como uma fonte de energia. 

Pacientes diabéticos não conseguem realizar esse processo e fazer o uso correto da glicose, elevando seu nível no sangue. Esse quadro é chamado de hiperglicemia e é extremamente grave. 

Quando prolongado, nossos vasos sanguíneos, órgãos e nervos são afetados, cujos danos podem ser permanentes. 

A doença não se manifesta de forma única, abrangendo 3 tipos de diabetes:

Diabetes tipo 1

Essa variação da doença se manifesta no sistema imunológico, que ataca erroneamente as células beta no organismo. 

Com isso, o corpo passa a receber pouca ou nenhuma insulina, gerando o acúmulo de glicose no sangue. A transformação da glicose em energia não é feita em decorrência da deficiência. 

Normalmente, a doença se manifesta durante a infância ou na adolescência. No entanto, pode aparecer na vida adulta também. 

Diabetes tipo 2

O tipo 2 também apresenta deficiência em relação a insulina. Neste caso, o organismo tem dificuldade para usar a insulina produzida ou não produz a quantidade necessária. 

Mais uma vez, há uma acúmulo glicêmico, afinal o organismo não consegue transformar a glicose em energia. 

Essa variação da diabetes é muito comum, onde 90% dos pacientes que têm a doença apresentam-a no tipo 2. Ela acomete mais adultos do que crianças, embora estas também possam ter a doença. 

Além disso, a reposição de insulina é necessária na grande maioria dos casos, fazendo parte do tratamento. 

Diabete gestacional

Como o nome indica, acomete apenas mulheres durante a gestação. Ocorre, principalmente, pelas alterações hormonais em decorrência do desenvolvimento do bebê. 

Neste caso, a placenta reduz a ação da insulina, fazendo o pâncreas elevar a produção de maneira compensatória. Para algumas mulheres, esse processo não ocorre e é desenvolvido um quadro de diabetes gestacional.

A patologia é preocupante para mãe e bebê, que pode ter um crescimento excessivo e consequências ao longo da vida. A mulher pode ter dificuldades no parto, enquanto a criança pode ter hipoglicemia neonatal, obesidade ou diabetes quando adulto. 

De forma geral, a diabetes exige ao paciente uma alteração em seu estilo de vida. Quem é diabético, sente dificuldade para se alimentar, já que principal fonte da glicose é baseada na dieta do paciente. 

Por isso, adequar a alimentação as necessidades da doença é importante para o tratamento. 

E quais tipos de dietas para quem tem diabetes?

Quando o assunto é a alimentação para diabéticos, muitas pessoas tem a ideia equivocada de uma dieta limitada. Embora seja um desafio se alimentar bem, o cardápio é diversificado e bastante amplo. 

A ideia de limitação existe porque alguns itens devem ser evitados para encaixar as necessidades do diabético. 

Em geral a dieta é baseada em alimentos com baixo índice glicêmico. Esse tipo de alimentação tem um consumo de glicose mais lento, o que é perfeito para o portador. 

Aqueles com índice glicêmico elevado são grandes vilões de quem convive com a diabetes. Isso porque levam a picos de insulina, já que a absorção da glicose é acelerada e o corpo não dá conta de fazê-la. 

Essas são as principais características alimentares para um diabético. Agora, só falta saber o que priorizar na dieta. Para isso, listamos 5 dicas para melhorar sua rotina alimentar. 

1) As refeições devem ser fracionadas

Para que o nível de açúcar no sangue se mantenha em equilíbrio, o diabético precisa comer sem exageros. 

Isso significa que as refeições devem ser feitas de maneira fracionadas, em quantidades e intervalos menores. 

Não apenas para quem tem diabetes, mas quanto mais tempo passamos sem comer, maior é o tamanho do prato. Fazer as refeições menos espaçadas, ajuda a evitar exageros ao porcionar a comida. 

2) Pular refeições nem pensar

Toda refeição é essencial e é preciso evitar pulá-las ao longo do dia. O café da manhã entra como a primeira e mais importante aos diabéticos. 

Iniciar o dia com um café balanceado diminui as chances de ganhar peso e regula a sensação de saciedade. Também é importante priorizar frutas, como a banana que é rica em potássio, fibras e magnésio. 

3) Reduza o consumo de sal

O sal é um vilão a alimentação, ainda mais quando consumido em excesso. Quem tem diabetes deve consumir pouco sal, o mínimo possível de preferência. 

O sódio faz o coração acelerar seu trabalho, bombeando mais sangue ao organismo e elevando a pressão sanguínea.

4) Frutas sempre in natura

As frutas são parte importante na dieta de quem tem diabetes. O mais indicado são opções com bagaço por sua alta concentração de fibras e pela sensação de saciedade.  

Elas devem ser consumidas sem exageros e, de preferência, ao natural, para manter as propriedades nutritivas. 

Também é recomendado o consumo através de sucos e vitaminas. Isso porque o preparo exige maior concentração e as fibras costumam ser descartadas. O valor nutritivo diminui, além de dificultar a absorção do açúcar. 

5) Carne vermelha e peixes 

O peixe é uma fonte em abundância em ômega 3, enquanto a carne vermelha tem ferro e vitamina B12. São itens essenciais na alimentação do diabético, sobretudo patinho, lagarto, salmão e sardinha. 

Mas atenção no preparo: evite comê-los fritos. É ideal que ambas as proteínas sejam preparadas grelhadas ou assadas. 

Como ter uma vida normal com diabetes?

Mudar a sua alimentação é o primeiro passo para ter uma vida normal mesmo tendo diabetes. 

A doença exige uma mudança de hábitos que, muitas vezes, são nocivos a saúde de qualquer pessoa. 

Parte do tratamento da diabetes engloba a prática de exercícios físicos, controle do açúcar e da pressão arterial. 

As atividades físicas por si só já são bastante efetivas, acelera o metabolismo, o que é bastante importante para o funcionamento do organismo. Também ajuda a manter o peso dentro do recomendado. 

O portador da diabetes não deve encarar esses hábitos como uma obrigação, mas como algo necessário para sua qualidade de vida. 

O estilo de vida saudável, como uma alimentação balanceada, exercícios e o uso de medicamentos quando necessário, aproximam a vida ao normal. O diabético conseguirá realizar atividades do dia a dia, terá melhoras em sua saúde e muitos outros benefícios. 

Veja também

Equipe O Fio de Azeite
Equipe O Fio de Azeite. Redação especializada em trazer o melhor conteúdo sobre comida, saúde e bem-estar.